NOTÍCIAS

17/05/2017 - 13h58 Bandeira de Mello: Moro ameaça credibilidade do Judiciário
Um dos juristas mais respeitados do país também criticou a decisão de fechar o Instituto Lula. Na noite de terça, desembargador derrubou a ação. Agência PT de Notícias


Foto: Portal Vermelho

O jurista Celso Bandeira de Mello, um dos advogados administrativistas mais respeitados do país, alertou, em entrevista à Agência PT, para o descrédito do Judiciário brasileiro perante a população e as instituições internacionais, ao citar ações recentes do também juiz federal responsável pela Operação Lava Jato, Sérgio Moro.

“Há muito tempo a credibilidade do Judiciário já está ameaçada a partir das ações do juiz federal Sérgio Moro. Para além disso, a credibilidade está ameaçada porque os órgãos superiores da magistratura não fizeram nada. A credibilidade da Justiça brasileira está há muito tempo comprometida. As pessoas que acreditam nela estão desesperançosas”, avaliou Bandeira de Mello.

Sobre o Instituto Lula, o professor emérito de direto administrativo da PUC-SP classificou a atuação do juiz Ricardo Soares, da 10ª Vara Federal de Brasília, como “arbitrária”. O juiz substituto decidiu, de forma autoritária, no dia 9 de maio, fechar o Instituto Lula.

No entanto, na noite desta terça-feira (16), o desembargador Néviton Guedes, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, derrubou a suspensão das atividades do Instituto Lula. Assim como Bandeira de Mello, o desembargador magistrado fez severas críticas à decisão de seu colega da primeira instância, classificando-a como impertinente, frágil e ilegítima.

Na avaliação de Bandeira de Mello, a decisão de fechar o instituto foi uma “ação típica da perseguição” ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“A decisão sobre o fechamento do Instituto Lula é uma ação típica da perseguição ao ex-presidente. Estamos em um clima em que podemos dizer que o Estado Democrático de Direito está submerso. Quando o Estado democrático de direito acaba, toda espécie de absurdo pode ocorrer e esse é mais um deles”, disse Bandeira de Mello.

A decisão do juiz Ricardo Soares foi tomada a partir de uma série de argumentos infundados (entenda por que a ação do juiz não teve base legal). O imóvel foi lacrado no dia 11 de maio e os funcionários ficaram impedidos de trabalhar.

Em nome de uma atuação correta do Judiciário, Bandeira de Mello já esperava que a decisão fosse revertida. “Eu acho que isso (fechamento do Instituto Lula) não vai prevalecer, essa é minha opinião. Porque tudo tem limite. Não é porque um juiz arbitrário fez isso que significa que nossa Justiça vá manter. Assim espero”, disse. Conforme previsto pelo jurista, à noite, a decisão foi derrubada.

Por Ana Flávia Gussen, da Agência PT de Notícias.

Deputados Federais
Enio Verri
Zeca Dirceu
Deputados Estaduais
Pericles de Mello
Professor Lemos
Tadeu Veneri
 
 
 
Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciado sob CC-Attribution 3.0 Brazil.
Exceto especificado em contrário e conteúdos replicados.
Alameda Princesa Izabel, 160, São Francisco, Curitiba. Cep. 80410-110.
Telefone: (41) 2103-1313. E-mail: imprensa@pt-pr.org.br